Cultura do Vinho

A Cultura do Vinho 1

23 de julho de 2012

Procurando explicações para entender porque nem todas as uvas podem dar bons vinhos? Sim, se esta é uma dúvida do leitor, antes de continuar com o assunto das diferentes uvas e seus aspectos culturais, vou tentar esclarecer o assunto. Tenho feito muitos alertas para que todos nós observemos o quanto para o vinho a Biologia e a Química são fundamentais.

A parreira é por excelência uma planta frutífera que tem frutos saborosos e que são muito apreciados em diversas formas de preparo. Bem, mas para o vinho você deve esquecer essa aptidão. A parreira precisa de certos cuidados em relação a água e nutrientes para dar frutos, isso é verdade, mas para o vinho de boa qualidade é preciso que sejam atendidos outros requisitos. Solo, subsolo, topografia, altitude, o clima e demais condições precisam ser ótimas para estimular a planta a não produzir só frutos grandes e sadios, mas pouca massa vegetativa e frutos concentrados de substâncias minerais e ricos de açúcar. Por isso solos pobres, mas com boa drenagem e na maioria das vezes, constituído de pedras ou rochas, são o estímulo que a parreira precisa para tal tarefa.
E como o clima é fator decisivo para o processo de produção de uma parreira, a cada safra se pode observar o quanto condições climáticas interferem no resultado final. 

E voltando ao assunto das mudanças no gosto do consumidor mundial, tenho chamado a atenção para o fato de que notadamente os vinhos espanhóis estão em alta. Isso muito se deve a uva Tempranillo e seus grandes vinhos. Ela encontrou no clima desse país da Península Ibérica condições ideais para se manifestar. Espanha conjuga o estilo tradicional europeu com a modernidade do novo mundo. E como esta uva precisa de clima frio para dar frescor e elegância, tem no clima continental as condições necessárias. E não bastasse, é um país que possui vastas áreas onde o calor é abundante durante o dia. Daí a Tempranillo assume também o caráter de fruta e força nos seus vinhos.

Esta semana estive degustando vinhos espanhóis e portugueses com expressões distintas sob a batuta do Sommelier Guilherme Corrêa, um grande profissional amigo e ídolo. A uva Tempranillo com seus diferentes nomes dependendo da região onde está na Espanha ou Portugal, mas sempre com grandes vinhos, é realmente encantadora!

Tony Radeke  
Sommelier AIS

tony@ enotecadecanterbc.com.br